sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Confi-reflexões parte II

Não sou daquelas pessoas que tem medo de envelhecer. In fact, duvido que algum dia vá deixar de comemorar os meus anos (a minha vida!!!) com a mesma alegria. Apesar dos avisos de que esta alegria não durará para sempre. Duvido. Gosto de fazer anos. Sentir que me celebro e que sei mais do que há um ano.
Nos últimos dois dias, tive a oportunidade de trabalhar num lar de idosos. Não meus senhores, não cometi nenhum pequeno delito nem estou sujeita a trabalho comunitário. Fui fazer um workshop sobre a Alimentação do Idoso. Curiosamente, não tive a oportunidade de contactar com os velhotes. Vi-os apenas de longe, numa sala, todos juntos, a ver televisão. Uns conversavam, outros esperavam simplesmente. Pelo quê? Não sei. Não lhes parecia importante. Não me pareceu relevante. Mas fiquei emocionada. Imaginei-os outrora pessoas activas e autónomas. E agora ali, uns em cadeiras de rodas, outros apoiados em bengalas.
Quando for velha, não me importo de ir para um lar. Nunca me importei. Sempre achei que seria uma festa todos os dias. Importo-me sim, e importar-me-ei sempre, se não for livre de escolher.
Ir para um lar ou ficar em casa.

2 comentários:

Ana Patrícia disse...

Belo workshop ;)
Bjinhs

Margarida disse...

Vês como o people do oeste é inspirador? vais la fazer um workshop e vens inspirada com uma filosofia de vida! LOOL fora de brincadeiras belo texto, subscrevo! bjinhos*