segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Um estágio de sonho... ora pois!

Regresso com indignação.


Caros Senhores,
Que o estado do país vai de cocó a merda, já todos nós sabemos. E eu até nem sou moça para me indignar com isso... Está demasiado gasto esse discurso. Sou moça, sim, para me indignar com a inacção para tirar este Portugalinho (e sim, fiz menção a um passatempo do programa Você na TV, companhia de meio mundo desempregado) da merda!

Senão vejam esta maravilhosa oferta para estagiar na revista Time Out Lisboa (e se estiverem interessados, porque não enviar os vossos CV's? Força, que eu bem sei que isto não está para brincadeiras):

«Se és jovem, sabes a diferença entre “à” e “há”, és lavadinho e conheces Lisboa como a palma da tua mão, junta-te a nós!
A Time Out Lisboa procura estagiários que não se importem de trabalhar de borla durante 3 meses, mas num ambiente muito agradável (e onde nem sequer se pede que nos vão buscar café).

Os interessados neste estágio de sonho deverão enviar os seus curriculos e um texto (sobre uma loja, um restaurante, uma crítica de música, televisão... qualquer coisa que tenha a ver com a revista) para o mail smsantos@timeout.pt

Ora, cara smsantos... seja lá quem tu fores, aqui fica o meu «direito de resposta»:

És lavadinho? Só podes estar a brincar. De estágio em estágio, a conta da água há (e repara como sei a diferença entre o «à» e o «há»!) muito que ficou por pagar. Mas adiante...
Devo dizer-te que estás com muita sorte. O candidato por que tanto procuras não há-de tardar. É que ninguém se importa de trabalhar três meses de borla... se esses três meses terminarem com uma cena rara: duas pessoas apertando solenemente a mão, felizes por terem celebrado um contrato (podes sempre falar com um historiador para te explicar o que isso era). O problema, smsantos, é que os três meses rapidamente se transformam em três anos. E depois, o problema do cheirinho a sovaco é bem capaz de se agravar... porque três meses a tomar banho só com a águinha das casas de banho públicas não vão abonar a favor do teu primeiro requisito. Ouve o que te digo, smsantos. Ouve o que te digo que só quero o teu bem.
Bom, tendo ultrapassado estes pequeninos obstáculos, fico muito mais descansada que no estágio que oferecem, não se tenha de servir cafés. O meu paizinho e a minha maezinha vão poder dizer à (mais uma prova de que as reguadas do Senhor Professor António valeram a pena) boca cheia que a filhinha está a fazer um estágio decente... nada de escravatura, que essa já acabou em há dois séculos atrás (cof, cof!)!
Ai que já os estou a imaginar, gritando por aí aos quatro ventos que a filhinha («sempre soubemos que ela era especial»... e a baba aparecendo nos cantos labiais), depois de anos de estudo e muito esforço («e mais dois de empregos precários e desemprego»... e a mãe dá uma cotovelada no pai, porque «isso agora não interessa nada»), lá conseguiu um estágio de sonho!
Se quem escreveu isto se acha muito criativo, pois bem. Eu acho que você simplesmente devia tirar um «time out». Prolongado.

E porque é que ninguém resolve isto à paulada?

2 comentários:

Ana Patrícia disse...

lollllllllllllllllllllllllllllll
lollllllllllllllllllllllllllllll
lollllllllllllllllllllllllllllll
lollllllllllllllllllllllllllllll
lollllllllllllllllllllllllllllll

Margarida disse...

olha panisgas, sao uma cambada de panisgas!! quem tem a lata de fazer estas propostas aliciantes e os pobres coitados que as aceitam pq afinal de contas é bom trabalhar so p aquecer...tamos no inverno e tudo n e? loooool apoiadissimo alina,partilhamos a tua indignação!!
bjiiinhos