domingo, 27 de fevereiro de 2011

Girl's talk

Menina 1 - Faz-me confusão, pronto. Ir assim para a cama com alguém que não conheça, que não seja amigo... 
Menina 2 - ... a mim faz-me confusão termos ido para a cama e depois não ficarmos amigos.

(Uma falando de sexo ocasional, outra respondendo sobre amizade com ex's, é a típica prova de que fazemos e falamos várias coisas ao mesmo tempo. Conversas de meninas são caóticas, cheias de subterfúgios, de segundos significados, um Mikado autêntico... i've been there, done that!) 



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Os mortos não sonham. Nem choram.
Os mortos também não vivem.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

... e vão quatro.

Noites sem dormir.
Não sei se continuo viva por muito mais tempo, mas amanhã logo dou de mim.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Momento Nicola (ou quando a nica se me cola)

Há dias que não deviam nascer.

(Todos juntos: Hoje é o dia.)

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

É com muito pesar que anuncio:

Que aos 27 anos já não consigo deitar-me às 4 da manhã e cumprir obrigações profissionais no dia seguinte. Estou, para que conste, em coma.
Mas foi o dia dos namorados mais divertido de que há memória. Tanto nos rimos. Tanto.

(E nunca mais são horas de me ir embora? Porra!)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Não fui

Às vezes parece que foste um acidente na minha vida. Daqueles que deixam estragos para sempre. Dos que te marcam, dos que te queimam. Dos que te partem em dois e te impedem de manter em pé. Dos que te fazem acordar a meio da noite, aos gritos, porque estás a reviver tudo: as guinadas, os travões, o embate (os beijos, o conforto, o amor). O choro (o choro).
Não consigo. Não sou capaz de fazê-lo de novo. Fico com suores. Começo a tremer. Sinto-me perder as forças. Vejo que me abrem a porta, garantem-me segurança. O cinto prende-me. Pergunto-lhe:
- Vais devagar?
- Vou devagar.
- Prometes.
- Prometido. Sem auto-estradas.
O estômago revolve-se-me. Ainda nem arrancámos e eu já desisti.

(Eu queria ter feito essa viagem. Seríamos nós, por umas horas. Seríamos bons, por um momento.)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

T2 para um e meio: e o burro sou eu?

A empregada da escola do Um, na qual ele anda há seis anos, entrega-me uma carta, pede-me para assinar um papel em como levei a carta e sai-se com esta:
- Depois entregue à mãe ou ao pai, se faz favor.
O quê?! Foda-se. Respira fundo.
- A mãe (pausa) sou eu (pausa).
- Ahhhh. Desculpe lá. Pensei que fosse tia... ou irmã.
Atenção, vem lá um momento de indignação:
A sério, seis anos depois? Eu sei que eu e o Um temos pouca diferença de idade. Mas seis anos a ir buscá-lo à escola? A chamá-lo filho e a ser chamada de mãe? Oh, Deus. Andarei a brincar aos bonecos há nove anos e ninguém me avisou? Posso pedir o reembolso da mensalidade da escola? Pronto. Já está.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Amy Winehouse no sudoeste?



Era tudo o que eu precisava de saber.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Quando as letras pequenas importam.

Eu não sei se é para acreditar, mas com tanto homem com quem já me cruzei, nunca fui além do (extremamente quente e dormir contigo é uma metáfora porque há muita maratona para correr) Carneiro, do (vamos fazer coisas divertidas e passar horas a discutir a melhor maneira de tornar o Mundo melhor) Gémeos, do (não consigo parar de te dar beijinhos e abracinhos) Balança e do (vamos fazer um drama só para nos amarmos loucamente depois) Leão.
Quatro em doze? Seriously? E não é que isto acontece com toda a gente a quem expus a minha teoria: as pessoas apaixonam-se sempre pelos mesmos signos.

Aviso importante - este estudo teve um universo de 93757430 participantes (portanto, o número de vezes que já me apaixonei). As compatibilidades acima descritas foram testadas somente para o signo de Aquário. A autora não se responsabiliza por qualquer erro de relacionamento que ocorra caso tente aplicar as conclusões deste estudo à sua vida. Se precisar de esclarecimentos adicionais ou se tiver alguma dúvida - ou seja, se o seu Carneiro não for mesmo um bicho sexual - por favor, consulte o seu médico ou farmacêutico. A sildenafila - vulgo Viagra - ou o Tadalafil - vulgo Cialis - podem ser hipóteses a considerar.

Noves fora, nada.

Eles definiam-se com um copo de vinho e um quarto de hotel. Como tolos, pareciam equilibrar-se nesse vazio. Mas um dia ouviram a mesma música e deixaram-se ficar na praia, até o sol se pôr. O que veio depois, também não estava nos planos. 


Impenetrabilidade:

«Dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço, ao mesmo tempo.»

Ai não, Arquímedes? Eu consigo imaginar uma maneira de isso acontecer...  

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

É isto

Quais são as probabilidades?

De ires ao centro de saúde e a tua médica estar com um estagiário giro que se farta?
Pelos vistos, muitas.

A considerar, uma pequena lista de «not to do things», que partilho depois de ter aprendido com os meus próprios erros:
1- Vestires o polo da Quechua, por mais quente que precises de ir.
2- Deixares os caracóis versão wild, por menos que te apeteça pensar no cabelo.
3- Lavares a cara com sabão e está a andar.
4- Levares aspecto de quem anda com febres há dias, mesmo que andes com febres há dias.
5- Teres na mão um pequeno lencinho onde guardas o ranho.

Depois, controlem-se. Quando ele vos enfia a espátula pela boca a dentro e diz:
- Faz «Ahhhh».
Ou pega no estetoscópio e se sai com um:
- Tira a camisola e respira fundo.
Garanto-vos: ele só está a seguir os procedimentos básicos da medicina familiar e não a fazer-vos propostas indecentes. Ai, mente mais distorcida, a minha.

Conclusão: aquele estagiário nunca será meu. A única coisa que me consola é que eu tinha o meu melhor soutien vestido.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Hoje é o dia

Eu até podia dizer que hoje é um mau dia: estou com gripe e desde segunda que não me levanto da cama, tal é a febre. Mas não é. Não é, porque é o meu aniversário. E eu adoro o meu aniversário!
27. Já são 27.