terça-feira, 24 de novembro de 2009

T2 para um e meio: Um reino só para ele

No escuro da noite estico o braço. Não te toco. Sustenho a minha respiração. Não oiço a tua. Oito anos depois, incomoda-me a distância que a partir de hoje nos separa: duas portas e um corredor. E sei que vou adormecer com medo de não te ouvir chamar, se a solidão também te afligir:

Um: Mãe, posso dormir contigo às vezes, quando me sentir sozinho?
Meio: Sim, podes.
Ganhas confiança, sopras o reizinho que vive em ti.
Um: Mãe?
Meio: Sim...
Um: Se tenho um quarto só para mim, vais ter de passar a bater à porta quando quiseres entrar.
Respeito.
Meio: Está combinado.

Rogo-lhe em silêncio. «Não feches a porta muitas vezes. Dá-me saudades.»
Quando a hora chega, deitas-te por fim. Com as lágrimas a escorrer. Repreendo-te com mimo (o meu ou o teu?):

Meio: Não te quero ver a chorar por uma coisa destas!

Encosto a porta e deixo que o fenómeno se reproduza em mim. Solto uma lágrima ou duas.
Estamos os dois a crescer. Mas um dia destes, estaremos do tamanho do Mundo. Está prometido.

3 comentários:

Ela adormecida disse...

que delicioso episódio :') **

Ana Patrícia disse...

Já li e voltei a ler e a ler e a ler...
Adorei :) Óbvio que tinha de adorar...
As vossas conversas são encantadoras, o vosso mundo é muito especial. Há uma ternura tão explícita nos diálogos que derrete qualquer um.

Muitos beijinhos para os dois :)

Margarida disse...

já estou a ver o livro adaptado ao cinema, maria alina :) bjinhos J'ADORE tes ecrits