quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Confissões, ou o amor é uma coisa bonita

Desde que vi um documentário sobre ela, ando a ouvir Pink mais do que gostaria de admitir (Sim, deixou de ser exclusiva das aulas de Body Combat).
Cheguei à conclusão que só apreciamos as coisas quando lhe percebemos uma essência. Até lá, somos meros curiosos. E só porque hoje estou super renhonhó, ponho aqui a música com que ela reconquistou o marido, praí pela milionésima vez. O amor, em geral, é bonito. Já o amor das mulheres é particularmente confuso: faz-se uma música a dizer ah, e tal, não preciso de ti para nada com o propósito de se a coisa se der vamos ali para o camarim e renovamos os votos, sim? (o marido é o que faz o vídeo). Tsc, Tsc, a mulher que nunca fez isto, venha daí, atire a primeira pedra. Que é como quem diz, comentário.




3 comentários:

AP disse...

Acho que estás a falar de um programa que deu na VH1 e na Mtv: "Behind the music", onde contavam a história dela e ela falou da sua relação com o marido e desse momento de reconquista no videoclip, e do facto de os dois juntos numa sala provocarem muita "tensão".
Gostei da honestidade dela nesse programa e do momento final no videoclip onde se nota a cumplicidade deles, já com o intuito de o reconquistar.
E gostei ainda mais deste post :)
Até me apetece cantar:

LOVE IS IN THE AIR LA LA LA LA LA
EHEHEHHEHHEHEH :)

Panda disse...

Fã #1 da Pink. Pelas letras da música, por ser pop sem ser dondoca, por ser a primeira a saber brincar com ela própria.

Paloma disse...

tenho de concordar, panda! dou a mão à palmatória. durante alguns anos, sofri de preconceito!