segunda-feira, 26 de julho de 2010

Quando o Até já... é MESMO Até já!

A TMN leva mesmo a sério o slogan que adoptou. A linha de apoio ao cliente ouviu-me cinco vezes em três dias, estive em duas lojas oficiais e continuo sem conseguir alterar o tarifário. E o que me dói é que eles insistem a dizer-me Até já na despedida, pelo que suspeito que vou fazer um sem número de telefonemas amanhã.
Senhores do marketing, este slogan afinal não funciona. Porque já deve ter havido muito cliente que gritou:
- Até já a puta que te pariu!
Eu prórpia o fiz. Mas só depois de desligar a chamada, que além de ser uma menina educada, também já trabalhei num contact-center. Não, senhores da TMN, aqueles rapazes não merecem o risco de apanhar com uma destas. Afinal, eles não têm culpa que a empresa poupe a qualidade com um outsourcing mal enjorcado, explorando os muitos desempregados licenciados - ou bons pagadores de propinas - que ali ganham menos do ordenado mínimo nacional, quem sabe a recibos verdes, e que nem sequer podem ir de calções atender telefones quando estão 45ºC numa sala com o ar condicionado avariado, onde deitam calor 100 computadores mais 200 pessoas, emparelhadas a meio metro de distância. Eu sei que eles não têm culpa. Por isso, não conseguindo conter a agressividade que me aqueceu a orelha - ou seria a hora e meia ao telefone - pedi desculpa de minuto a minuto enquanto descarreguei nos rapazes.
Posto isto, tenho a dizer que fiz um estudo cujos resultados quero partilhar:

1 - Os rapazes são mais simpáticos a atender telefones do que as raparigas. Se vos atender uma rapariga, peçam para falar com o rapaz mais próximo.
2 - Os rapazes podem estar a dizer tudo trocado, mas não gaguejam perante uma cliente furiosa. Se vos atender uma rapariga - e se recusar a passar ao rapaz mais próximo - assegurem-se que elas têm a algália posta, porque elas vão-se mijar pelas pernas abaixo de cada vez que vocês levantarem a voz. 
3 - A malta do norte é mais descontraída a atender os telefones e conseguem fazer-me rir mesmo quando já estou a planear um ataque bombista às lojas TMN.  Se vos atender uma pessoa sem sotaque, peçam para passar à delegação do norte.
4 - Os homens do norte não perdem uma oportunidade de lançar o charme. (E eu gosto disso) Se o assistente não vos fizer sorrir com um comentário simpático, respondam «Até já a puta que te pariu!» quando ele se despedir.

*Nota - Senhores do marketing, vão resgatar o vosso ex-Mimo ao desemprego. Muito adequado. Mais valia estarem calados do que dizerem merdas diferentes de cada vez que atendem o telefone.

Humpf. Tenho dito. (E desabafado!)

8 comentários:

Patife disse...

Ahahahahahah. Apoiado!

Dora disse...

Eu tenho um hábito que faço há anos: se tenho uma dúvida e ligo para uma linha de atendimento, nunca fico pela 1ª resposta. Ligo mais uma ou duas vezes porque de cada vez que me atendem, dizem coisas diferentes.

Já disse, "estou farta desta merda" e "foda-se!".

Bruno Miguel disse...

O 1696 é uma selva! Acredita que é mesmo. ;) A sorte é que estão lá algumas pessoas bastante competentes.

Underground disse...

Se por um lado há um até já, por outro há um mimo como rosto da tmn.
Hum... ora um mimo não dá respostas directas, dá pistas!
Cheira-me que vais ter um longooo caminho até ao novo tarifário.

Paloma disse...

isso é tão verdade que continuo sem tarifário e ja perdi mais meia hora ao telefone com uma rapariga. vou voltar a ligar, dora. mas para ver se me atende um gajo!

Letra S disse...

por estas e por outras é que não deixo a minha Vodafone... mudo de tarifário através da net, no problems!

Paloma disse...

Letra S, tb ja tive vodafone e acreditas que já tive chatices piores? Roubavam-me dinheiro! eheh. Epá, tudo o que mete linhas de apoio, tá estragado!

(e já tive de ligar para a zon tv cao hj tb. foooniiix! tou com uma sina..)

AP disse...

LOLLLLLLLLLLL