segunda-feira, 10 de agosto de 2009

De alma lavada

Esta que vos escreve, está viva. Esmurrada, com uma costela dorida, algumas nódoas negras e arranhões, mas viva. E feliz:
1- Por ter revivido o meu primeiríssimo concerto - Tara Perdida e The Offspring - onze anos depois de ter sido autorizada a vê-los no Coliseu. Emocionou-me.
2 - Por ter suado tudo o que me andava a intoxicar. Amaciou-me.
3 - Por ter comprovado que sozinha também chego lá. Engrandeceu-me.
4 - Pelos rostos que conheci e reconheci. Entusiasmou-me.
5 - Pelo começo e recomeço. Animou-me.
6 - Por ter conseguido gritar as palavras que andavam presas no peito, ainda que não sejam originalmente minhas. Libertou-me.
7 - Por me aperceber que o que adoras hoje, podes continuar a adorar amanhã... há amores que não nos escapam. Confortou-me.
8 - E porque não confessar, vá: porque o Dexter ainda mexe comigo - eu sei que ele está velho, gordo e que todo nú, deve ser um pesadelo - mas o homem sentou-se ao piano a cantar a Gone Away. Estarei desculpada? Apaixonou-me.
Obrigada aos que se preocuparam com a minha integridade física, naquela que foi uma espécie de viagem espiritual à Índia, ainda a «minha» Índia fique apenas a 300 Km, seja uma cidade e se chame Portimão.
Tenho vídeos próprios, mas depois colocá-los-ei aqui. Ó Bennie Bernardette de Brito, se prepare que isto não é só praia! =P
Tara Perdida num grande canal, infelizmente extinto:




e claro, a que me agarrou há uns anos atrás:

2 comentários:

Margarida disse...

SOUNDS PRETTY COOL :)Tb preciso de lavar a minha se calhar ta ai a solução...eheeh bacione, cara

Ana Patrícia disse...

Gostei muito deste post :)
Beijinhos