terça-feira, 6 de abril de 2010

Num dia de sol

Disse-o com uma tranquila convicção:
- Sei que um dia vamos acabar por casar.
Fez um trejeito com a boca. Soou-lhe a sorriso, mas não apostaria. Tinha qualquer coisa de triste. Podia ter sido um simples esgar. Perante o silêncio, ele insistiu:
- Sei-o. Não sei como será o teu vestido, de que jeito o teu cabelo vai estar penteado. Mas sei ao que saberá o nosso bolo...
Ela olhou-o, estupefacta. Os olhos aguados, perante a imagem de uma desilusão ou a comoção de um sonho recém-nascido.
- Vai saber-me à tua boca. A massa, essa, pode ser de chocolate.
(E quando não me olhares, encho-te de champagne. Só para lamber cada gotinha que ousar o teu corpo.)

4 comentários:

Miúda-Mulher disse...

O sol da Primavera traz sempre energias muito boas ;-)

Maria Inês disse...

Olha, olha... o vestido da imagem não seria nada má escolha! ^^

E gostei (muito) do texto.

kiss kiss*

Paloma disse...

Que boas energias! Viva o sol!

E sim, também acho este género de vestido uma boa escolha! =D

AP disse...

Adorei!