domingo, 10 de janeiro de 2010

Amor em guerra

São raras as vezes que sonho com o Um. E gosto assim. Quando sonho, é para ter medo, preocupação ou angústia. Como hoje. Sonhei que o Portugal estava em guerra e que fui incompetente na tarefa de protegê-lo.
Acordei triste.

Acho que é isto que sentem as mães nos países devastados pela estupidez humana. Só que elas não têm o privilégio de acordar. O mais certo, é nem terem o privilégio de dormir, quanto mais de sonhar.

3 comentários:

Ana Patrícia disse...

Grande reflexão. Nem imagino a sensação...

Lurdes disse...

As mães mais cedo ou mais tarde...por uns ou outros motivos... acabam sempre por achar que falham na tarefa de proteger os filhos...
Ser mãe é a busca constante da perfeição... que não existe

Ela adormecida disse...

deve ter sido sufocante... :S **